E eu achando que eu era louca!

Esse foi o primeiro livro que assim que eu vi disse que queria, sem ver sinopse, sem ninguém ter indicado, sem nada, ele era lindo, então foda-se o resto, independente da história esse livro estaria na minha coleção e eu o ganhei(hahaha, chorem bitchs).

A Menina Submersa da autora Caitlin R. Kiernan(320 páginas) e editora Darkside Books(a melhor).

12511421_1124383034239009_428563149_o

IMP ou melhor India Morgan Phelps a protagonista que sofre de esquizofrenia e o livro retrata sobre a história de vida dela através de uma espécie de diário escrito pela mesma com suas memórias. Se você quer saber o que se passa numa mente como essa, então vai em frente, mas vou logo avisando é que muita loucura, a história não é ruim, muito pelo contrario é fantástica e tem sua peculiaridade, mas eu li, reli e li de novo para poder entende-la acho que por isso demorei tanto par termina-la.

Como falei anteriormente  IMP sofre de esquizofrenia e herdou isso da mãe(Rosemary Anne) que morreu aos 56 anos no hospital Butler(Hospital de louco como IPM o chama) que India alega que foi suicídio mesmo que digam que não e também herdou da sua avó(Caroline) que se matou em casa deixando uma carta suicida, já o pai deixou sua mãe assim que ela enlouqueceu e India ainda era criança o que desde então fez ela imaginar diversas mortes para o pai e de diversas formas possíveis. A IMP se trata com a psiquiatra Dra. Ogilvy que tem uma coleção de insetos entalhados, também tem sua tia que cuida de algumas partes das despesas e liga quando pode.

12509968_1124383017572344_201072508_o

No seu decimo primeiro aniversário sua mãe a levou a um museu onde ela ficou fissurada pela pintura o artista Phillip George Saltonstall chamada a menina submersa, assim como a pintura de Albert Perrault, a Fecunda Ratis.

A IMP é pintora ganhava a vida vendendo os seus quadros no verão e também como vendedora de uma loja produtos artísticos, como mora sozinha ela tem que procurar uma forma de se manter, uma vez voltando do trabalho ela conheceu a Abalyn que virou namorada dela depois de um tempo que foi morar com ela. A India gosta de andar só de carro pela cidade a noite e também gosta de história de fantasmas e as escreve para si mesmo, em um desses passeios a noite ela ver uma mulher saindo do mato sozinha de vestido molhado e descalça e pergunta se ela quer carona. Genteeee para tudo, quem em sã consciência pega um estranho na estrada  e coloca no carro? ainda mais parecendo que saiu de um filme de terror!! É verdade, ela é doida!! E foi assim que IMP conheceu Eva Canning a estranha que tanto a perturba. Depois que ela conhece a Eva ela começa a pirar de vez a ponto de Abalyn deixa-la por não aguentar mais.

Mais ou menos na página 131 é relatado uma das histórias de fantasmas que IMP escreve e é uma das melhores e mais loucas que já li(vou deixar vocês só na vontade), não sei as outras pessoas, mas depois dessa história dela eu consegui acompanhar e passar mais a assimilar o que era real e o que era imaginário, até fiquei com pena de India em alguns momentos no ápice de sua loucura e cheguei a me comover, é um história envolvente se você gosta de histórias de fantasmas, então digo que você leia, talvez seja confuso no começo, seja cansativo, mas no fim verá que valeu a pena e que termina de uma forma que talvez você já tem uma ideia, mas não teria tanta certeza até ser dito.

bjos, esperem que gostem.

Anúncios

5 comentários sobre “E eu achando que eu era louca!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s